Polícia do Rio inicia segunda etapa da Operação Têmis

Ação visa coibir serviços como televisão à cabo e transporte e vendas de botijões de gás sem regulamentação

Fabiana Marchezi, da Central de Informações,

16 de junho de 2009 | 10h47

A Polícia Civil do Rio de Janeiro iniciou na manhã desta terça-feira, 16, a segunda etapa da Operação Têmis, que na semana passada prendeu 45 pessoas supostamente ligadas às milícias.

 

De acordo com a Secretaria de Segurança, a fiscalização visa coibir o comércio ilegal de gás, o transporte ilegal de passageiros, o furto de sinal de televisão por assinatura e as atividades comerciais que não cumprem as posturas municipais. O objetivo principal da operação é atacar as fontes ilícitas de financiamento dos grupos que atuam ou atuavam em áreas da zona oeste, especialmente Campo Grande, Santa Cruz e Guaratiba.

 

Ainda segundo a Secretaria, calcula-se que só o comércio paralelo de gás movimente mais de 50 mil botijões por mês. No ramo das ligações clandestinas de TV, estima-se que o número chegue a 100 mil na região.

 

A operação deve durar no mínimo 30 dias ininterruptos. Após este prazo, será feito um balanço e a operação de fiscalização poderá ser prorrogada por outros 60 dias.

 

Além das polícias estaduais, a segunda fase da Têmis terá a participação de departamentos de transporte, sindicatos e empresas dos ramos de atividade ligados à operação. Flagrantes, apreensões e balanços serão centralizados na Delegacia de Homicídios Oeste.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.