Marcos Arcoverde/AE
Marcos Arcoverde/AE

Polícia do Rio usa cassetetes e armas de choque para dispersar protesto

Duas agências bancárias tiveram vidros quebrados e um rapaz acusado de participar da depredação foi detido

19 de agosto de 2013 | 21h45

Um protesto convocado pelos movimentos Ocupa Câmara e Anonymous, chamado de "Chega de incompetência, acabou a minha paciência", que reuniu cerca de 200 manifestantes no centro do Rio, na noite desta segunda-feira, 19, terminou em confusão quando a polícia usou cassetetes e armas de choque para dispersar os ativistas. Duas agências bancárias tiveram vidros quebrados e um rapaz acusado de participar da depredação foi detido.

Os ativistas se reuniram por volta das 19 horas em frente à Câmara Municipal, na Cinelândia. Dali decidiram seguir para a Assembleia Legislativa, onde ocuparam as escadarias, a partir das 20 horas. Para tentar evitar que os PMs revistassem o grupo, os próprios manifestantes fizeram um cordão de isolamento.

A polícia então usou cassetetes e armas de choque para dispersar o grupo, que seguiu correndo pela Rua da Assembleia. Durante a correria, alguns ativistas quebraram vidros de duas agências bancárias (do Santander e do Banco do Brasil) e destruíram lixeiras, espalhando o lixo pelo chão.

Um rapaz foi detido e levado à 5ª DP, onde negou ter participado de atos de vandalismo. O grupo se dispersou, mas alguns ativistas se reuniram para seguir até a delegacia. Esses manifestantes continuam na frente do prédio, protestando contra a detenção do rapaz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.