Polícia do Rio vai refazer perícia na casa dos Staheli

A polícia do Rio de Janeiro vai fazer a contraprova de todos os exames técnicos realizados na casa do casal Zera Todd Staheli, executado a golpes na cabeça à semana passada enquanto dormia. A determinação foi anunciada hoje pelo secretário de Segurança Pública, Anthony Garotinho, na saída do culto dominical na Igreja Presbiteriana Luz do Mundo, em Laranjeiras. Garotinho determinou também que a machadinha encontrada na casa seja desmontada para verificar se há vestígios de sangue nas partes que entrelaçam o objeto.Segundo Garotinho, "o luminol - substância usada para detectar vestígios, inclusive de sangue em qualquer objeto - normalmente não falha, mas pode ser que tenha sido utilizado algum detergente que iniba a sua reação. O aconselhável é fazer um outro teste em toda a casa", disse. Ele afirmou que a reconstituição com a presença dos filhos do casal é fundamental para o esclarecimento do crime. "Não é para transtorná-los ou para criar neles algum tipo de trauma, mas para esclarecer o fato que é cercado de tanta dificuldade, de tanto mistério. Ninguém consegue, sem o depoimento das pessoas que estavam na casa, chegar a uma situação conclusiva", disse .A reconstituição do crime está marcada para quarta-feira, mas o advogado da família Staheli, João Mestieri, pediu o adiamento alegando que os filhos de 10 e 13 anos não têm condições psicológicas de comparecer na casa. As informações são da Agência Brasil.Para ler mais sobre o crime na Barra da Tijuca: » Morre Michelle Staheli, a mulher do executivo » Filhos do casal terão que prestar depoimento » Depoimento da filha mais velha tem contradições, diz secretário » Morte cerebral de Michelle Staheli é "questão de tempo" » Situação de Michelle Staheli é "extrema", diz boletim » Polícia quer impedir que filha de executivo deixe o País » Mercado não acredita em ameaças ao executivo americano » Estado da mulher do executivo choca os parentes » Parentes do casal americano chegam ao Rio » Empresário americano podia estar sendo ameaçado

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.