Polícia do RJ prende traficante uruguaio

Considerado pela polícia o último elo entre o Cartel de Medelín, na Colômbia, e os traficantes de drogas do Rio, o uruguaio Hugo Mário Errasquin Perez, de 49 anos, foi preso nesta tarde por policiais da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), no centro da cidade. Perez é apontado como um dos intermediários da venda de drogas produzidas na Colômbia e vendidas nas favelas cariocas. O bandido estava com documentos falsos, em nome de Mário Washington da Silva, e foi localizado quando caminhava numa rua próxima à Central do Brasil. Ele foi levado para a carceragem da Polinter, na zona portuária, e responderá por uso de documento falso e por tráfico de drogas. Com sua prisão, estão detidos todos os integrantes do grupo que trazia entorpecentes da Colômbia para serem comercializados no Rio, acredita a DRE.A Justiça brasileira - assim como a do Uruguai e a da Argentina - já havia expedido um mandado de prisão contra o traficante em outubro do ano passado, depois que foram presos o argentino Jorge Eduardo Fanin, que vendia a droga repassada por Perez a quadrilhas que comandam o comércio em comunidades carentes do Rio. Entre elas, estava a chefiada por Ederson José Gonçalves Leite, o Sam, chefe da favela Cidade de Deus, na zona oeste. Sam foi preso em agosto, no mesmo dia de Fanin.Também é atribuída a Perez a ligação com a boliviana Mirtha Ibañes López, que seria o elo entre a quadrilha que usava aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) para transportar cocaína para a Europa com grupos de traficantes da Bolívia e da Colômbia. Mirtha foi detida em abril de 1999 e está no complexo penitenciário de Bangu.Na época, foram descobertos 35 quilos de cocaína num avião Hércules da FAB, que seriam levados até a Espanha. A droga estava acondicionada em malas, que foram apreendidas quando o avião fazia uma escala na Base Aérea do Recife, vindo do Rio de Janeiro. O destino final do vôo era a França, com escala em Las Palmas, capital das Ilhas Canárias, na Espanha, onde a carga seria desembarcada. O americano John Michael White, atualmente preso nos Estados Unidos, seria, de acordo com a polícia, o chefe do grupo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.