Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Polícia e MP desarticulam quadrilha que fraudava vistorias no Detran-RJ

Proprietários de veículos com irregularidades e sem condições de trafegar pagavam de R$ 50 a R$ 1 mil por aprovação

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

18 Outubro 2013 | 15h40

Atualizado às 17h20

RIO - A Polícia Civil e o Ministério Público desarticularam uma quadrilha que fraudava vistorias no Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran-RJ). Oitenta e nove pessoas foram presas na manhã de dessa quinta-feira, 17, em 17 cidades. De acordo com a polícia, a quadrilha é ligada a milícias que atuam na zona oeste da capital fluminense. Três PMs estão entre os presos.

O esquema foi montado em 2009. Proprietários de veículos com irregularidades, e sem condições de trafegar, pagavam propina para serem aprovados nas vistorias. Os valores variavam de R$ 50 a R$ 1mil. A quadrilha chegava a faturar R$ 2 milhões por mês.

Faziam parte do esquema funcionários do Detran, prestadores de serviço e despachantes. Eles agiam em pelo menos oito postos diferentes da Baixada Fluminense, de São Gonçalo, na Grande Rio, e em bairros das zonas norte e oeste da capital.

Os promotores Luiz Antonio Ayres, Claudio Varela e Marcus Vinicius Leite denunciaram 181 pessoas pelos crimes de associação criminosa, corrupção passiva, corrupção ativa, falsidade ideológica, falsificação de documento público, inserção de dados falsos em sistema informatizado e supressão de documento público. A Justiça decretou a prisão preventiva de 122 delas.

Doze delegados, 520 policiais, além de agentes do Detran e das corregedorias da Polícia Militar e Polícia Civil participaram da operação.

Mais conteúdo sobre:
detranfrauderio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.