Polícia e MP vasculham sítio de pastor para procurar corpo de manicure

Segundo promotores, Marcos Pereira, condenado por estupro, não é suspeito da morte de Liliane Santos, sequestrada em julho

Adriano Barcelos, O Estado de S. Paulo

30 Outubro 2013 | 15h01

RIO - Uma propriedade do pastor Marcos Pereira - preso e condenado a 15 anos de reclusão por estuprar uma fiel - está sendo alvo de uma operação para localizar o corpo da manicure Liliane dos Santos, sequestrada em 19 de julho em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Segundo o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado do Rio (MP), ele não é suspeito da morte de Liliane.

As buscas estão sendo realizadas em um sítio de Marcos Pereira, mas o responsável pelo assassinato de Liliane, de acordo com as investigações, teria sido Antonio Marcos de Borges - amigo do pastor que morreu em confronto com a polícia no final de julho.

De acordo com a 58ª Delegacia de Polícia, que investiga o caso da manicure, Borges era frequentador da casa de campo do pastor. As roupas da vítima foram encontradas em um acampamento a 819 metros do sítio, no bairro do Tinguá. A hipótese é de que o corpo tenha sido enterrado no local. Liliane, que tinha 28 anos, voltava da academia na noite do dia 19 de julho quando foi sequestrada no bairro Jardim da Viga, em Nova Iguaçu. Junto às roupas foi encontrada uma Bíblia, em que a cunhada do suspeito reconheceu a letra de Borges.

Ele também é suspeito do sequestro da publicitária Patrícia Gomes Ávilla, sequestrada na Penha e encontrada morta com um tiro na nuca em Queimados, em julho deste ano. Borges havia sido condenado a 27 anos de prisão por roubo, homicídio, estupro, extorsão e sequestro, e estava foragido depois de ter recebido o benefício do regime semiaberto e não voltou mais à prisão.

Mais conteúdo sobre:
violência Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.