AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Polícia encontra drogas e celulares nas celas de Tremembé

Um dia depois da rebelião na penitenciária Tarciso Leonce Pinheiro Cintra, em Tremembé, no Vale do Paraíba, 65 policiais da Força Tática da Polícia Militar e agentes realizaram revista nas celas. Em nove horas de operação, foram encontrados 11 celulares, 18 porções de cocaína, 6 de maconha, 15 carregadores e pelo menos 25 celas com as grades parcialmente destruídas. A Secretaria de Administração Penitenciária informou que 16 presos, apontados como os líderes da rebelião, foram transferidos para outros presídios do Estado. Na madrugada do último sábado foram encontradas duas pistolas de sabão que deram início à rebelião na penitenciária, que durou nove horas e fez dois agentes reféns. Um dos detentos simulou que estava passando mal e ao ser atendido ameaçou os agentes com as armas e tentou fuga. As pistolas de sabão acabaram apreendidas no final do motim e foram levadas para a delegacia. Segundo o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Vale do Paraíba, faltam funcionários para vigiar os presos e dar conta das revistas. "Agora o governo aumentou as visitas e de dois parentes por preso, passou para quatro parentes em cada dia de visita", afirmou o presidente da entidade, Joselito Oliveira Vaz. Ele contou que é comum os presos fazerem armas também de palito de fósforo e que quando são achadas, acabam apreendidas. Na última rebelião na Casa de Custódia de Taubaté, em janeiro deste ano, uma arma de sabonete também deu início ao motim, que deixou dois presos mortos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.