Polícia encontra fábrica de munição do tráfico no RJ

Policiais da Delegacia de Repressão a Armas e Explosivos (Drae) apreenderam aproximadamente 5 mil balas de pistola e fuzil em uma casa no centro de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, que, segundo denúncia, funcionava como fábrica clandestina de munição e paiol de traficantes. O proprietário, Arsis Gomes dos Santos Júnior, de 48 anos, acusado de fabricar e fornecer munição para a facção criminosa Terceiro Comando (TC), conseguiu fugir, de acordo com o delegado Carlos Oliveira. Mas outro suspeito, Renato Lopes, foi preso em flagrante.Santos Júnior havia sido preso em dezembro de 2000 com cerca de 20 mil projéteis, mas cumpriu pena de dois anos e foi solto. Ele é acusado de abastecer o TC na Baixada Fluminense e na zona norte do Rio. "Esta apreensão é uma prova de que o mercado interno é até mais importante que o contrabando", afirmou Oliveira, titular da Drae, que investigava o acusado havia dois meses. Segundo ele, o armeiro tinha capacidade de produzir cerca de 500 projéteis por dia em sua casa.A polícia encontrou na residência máquinas importadas para fabricação de munição de vários calibres, grande quantidade de pólvora, manuais e revistas especializadas. O delegado afirmou que grande parte da munição estava pronta para uso. A polícia não encontrou nenhuma documentação referente à compra do material.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.