Polícia encontra rede de tráfico de drogas do PCC em Campinas

A Polícia Civil de Campinas, no interior de São Paulo, prendeu, na noite de quinta-feira, Izael Bezerra de Araújo, de 28 anos, acusado de comandar pelo menos sete pontos de venda de drogas da organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), na cidade. Com ele também foi detida uma adolescente de 16 anos. No Fiat Uno onde o casal estava foram encontrados 1,085 grama de cocaína, 850 unidades de tubinhos plásticos utilizados para embalar drogas, três vias do estatuto do PCC, 25 talões de rifas de R$ 10 cada folha e seis cadernos com a contabilidade da venda de entorpecentes.As provas de ligação do casal com o PCC estão nos cadernos de contabilidade, de acordo com o delegado. Neles há telefones e endereços de membros conhecidos do PCC na região de Campinas que estão presos ou não. Era para essas pessoas listadas que Izael relatava como estava o movimento da vendas das drogas.As prisões aconteceram por acaso quando policiais do Setor de Furto e Roubo de Veículos (SFRV) da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) desconfiaram do comportamento do casal dentro do carro.O delegado titular da DIG, Paulo Afonso Tucci não quis informar quem aparece nas listas, alegando que isso poderia prejudicar as investigações que pretendem chegar a todos os locais de venda e a quem trabalha nos pontos. A polícia ainda calcula qual é o volume de arrecadação do PCC com as drogas em Campinas. Tucci também não revelou os valores de três depósitos bancários encontrados com Izael.Os 25 talões de rifas encontrados com o casal, segundo Tucci, podem ser outra forma de arrecadação do PCC como foi verificado em outras apreensões. A polícia já encontrou o mesmo tipo de rifa em São Paulo, em Araraquara e Campinas. Nessas apreensões ficou comprovado de que o dinheiro das rifas ia para o PCC o que deveria acontecer o mesmo com os talões encontrados na quinta-feira.De acordo com o delegado, Izael confessou informalmente que trabalha para a organização criminosa. A jovem afirmou que ajudava a vender as drogas. Ele foi levado para o Complexo Penitenciário Campinas-Hortolândia. A adolescente foi entregue ao Juizado da Infância e Juventude.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.