Polícia encontra viaturas clonadas em SP

Agentes do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) e colegas da Delegacia Seccional de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, sob o comando, respectivamente, dos delegados Paulo Naval e Marco Antonio de Paula, investigam a clonagem de viaturas policiais no município e a ligação deste crime com o suposto plano de resgate de presos frustrado na última quarta-feira pela Polícia Militar com a morte de quatro bandidos, na mesma cidade.Na tarde de ontem, em uma garagem, na Avenida Taboão, nº 3.200, quase na divisa com a capital paulista, policiais militares da 2ª Companhia do 6º Batalhão, que receberam denúncia de que no local haveria caminhões roubados, encontraram duas picapes Blazer idênticas às usadas pela Polícia Civil, de prefixos P-14928 e P-14842. O primeiro registro é de um Santana do Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc) e o segundo, de um Santana do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic). A constatação de que realmente os veículos eram clonados veio assim que os policiais checaram as placas das duas picapes: BVZ-4051 e BVZ-3643, pertencentes a um Santana da Polícia Civil e a uma Blazer da Polícia Militar, de Osasco.A polícia acredita que essas duas falsas viaturas seriam utilizadas em um suposto resgate de presos no Centro de Detenção Provisória de Santo André, cujo plano teria sido frustrado no final da noite de quarta-feira com a morte de quatro bandidos no bairro de Vila Livieiro, na capital, muito próximo à Avenida Taboão, mesma avenida onde está a garagem e pela qual os bandidos foram abordados pelos policiais antes de serem mortos no confronto ocorrido já no trecho da capital. Após a troca de tiros, um dos policiais atendeu a um telefonema no celular de um dos bandidos e ouviu a seguinte frase: "Vocês estão atrasados; nós já estamos aqui ao lado do CDP de Santo André". A polícia acredita que os quatro bandidos, armados de escopetas, pistolas e metralhadora, estivessem a caminho do galpão, de onde seguiriam com as Blazers e simulariam ser policiais civis para invadir o CDP e assim executar o resgate de dois cúmplices. Três dos criminosos mortos foram identificados ontem como sendo Anderson dos Santos Barbosa, 22 anos, o "Tio Sebo", acusado de pelo menos seis mortes, Marcos Santiago Martins, 25 anos, e Carlos Amaros dos Santos.As duas Blazers encontradas na garagem em São Bernardo na verdade eram táxis. Elas foram roubadas na zona Leste de São Paulo entre os dias 13 e 16 de maio. Os taxistas foram feitos reféns e abandonados no município de Suzano, também na Grande São Paulo. Os veículos teriam sido transformados em viaturas no próprio estacionamento. "Temos informações de testemunhas que viram as blazers entrarem no local com as características originais: táxis. Isso nos dá certeza que a adulteração se deu no local", disse o delegado Marco Antonio de Paula, da Delegacia Seccional de São Bernardo. Um casal de caseiros foi detido no estacionamento ontem pelos policiais; e, como a polícia ainda está averiguando o envolvimento deste casal com a quadrilha reponsável pela clonagem, pelos roubos de carga na região e pelo suposto plano de resgate, os dois detidos ainda não foram liberados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.