Polícia espanhola detém brasileiros em situação irregular

A polícia espanhola deteve 24 pessoas na operação que desarticulou uma organização que levava imigrantes brasileiros, ucranianos e angolanos com vistos portugueses falsos para trabalhar na Espanha. Segundo fontes policiais, os trabalhadores ilegais eram contratados por diferentes empresas de Portugal, que, por sua vez, eram subcontratadas por firmas espanholas para prestar serviços no ramo da construção civil. Na operação policial, foram detidas dez pessoas, entre elas funcionários e gestores das empresas, envolvidas nos supostos delitos de formação de quadrilha, desrespeito aos direitos dos trabalhadores e falsificação de documentos. Entre as pessoas detidas há cidadãos espanhóis e portugueses cujas identidades não foram divulgadas pela polícia até o momento. Também foram detidos quatorze imigrantes que estavam em situação irregular na Espanha. As investigações começaram em novembro de 2005 nas Ilhas Canárias, quando as autoridades observaram um número considerável de brasileiros que tinham vistos de trabalho que os autorizavam a permanecer em Portugal, mas não a trabalhar na Espanha. Os agentes localizaram várias obras em diferentes províncias espanholas que empregavam estes imigrantes. Embora o salário dos trabalhadores ilegais estivesse fixado em ? 9 - o equivalente a R$ 25 - por hora, eles recebiam apenas ? 5 - aproximadamente R$ 14. A rede operava há quatro anos e, por isso, os investigadores calculam que ela pode ter lucrado ? 1 milhão (R$ 2,69 milhões). A investigação continua aberta e pode haver novas detenções.

Agencia Estado,

06 Fevereiro 2007 | 12h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.