SOS Desaparecidos/Divulgação
SOS Desaparecidos/Divulgação

Polícia espanhola procura estudante brasileira que desapareceu em Barajas

Mãe da jovem teria denunciado à polícia suposto aliciamento por grupo coreano já no final do ano passado; Estela é fã de k-pop e teria recebido proposta para trabalhar em outro país

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

31 de janeiro de 2020 | 19h08

SOROCABA - A polícia espanhola faz buscas pela brasileira Estela Cristina Romero Vieira, de 21 anos, que desapareceu no dia 28 de janeiro, depois de sair de São Paulo com destino ao aeroporto de Barajas, no distrito do mesmo nome, em Madri. A família de Estela é de Votorantim, interior de São Paulo, onde a jovem havia passado as férias com o pai.

Os pais são separados e ela mora com a mãe na província espanhola de Granada. A jovem desembarcou em Barajas, mas não tomou o voo de conexão para o destino final. A família suspeita que ela teria sido aliciada por uma quadrilha coreana que age na Espanha.

O desaparecimento de Estela ganhou destaque na imprensa espanhola. Um site de buscas por desaparecidos divulgou uma foto e descreveu as roupas que ela usava quando sumiu. Imagens de uma câmera de segurança mostram a jovem caminhando pelo aeroporto com o passaporte na mão.

No Brasil, os familiares fizeram uma mobilização pelas redes sociais. De acordo com Catia Cilene, tia da jovem, Estela era fã do estilo de música coreana conhecido com K-Pop e participava de grupos de aficionados em redes sociais.

No fim do ano passado, a mãe da jovem teria denunciado à polícia, na Espanha, que Estela estava sendo aliciada por um grupo de K-Pop de Seul, capital coreana. Eles insistiam para que ela viajasse a Seul, onde seria maquiadora de cantores de K-Pop.    

Conforme a tia, essa foi uma das razões pelas quais ela viajou para a casa do pai, no Brasil. Segundo ela, a polícia nacional espanhola encontrou uma mochila com pertences de Estela no aeroporto. Os policiais incumbidos da investigação solicitaram à polícia aeroportuária acesso ao conteúdo das câmeras segurança. Até a tarde desta sexta-feira, 31, não havia informação sobre o paradeiro da jovem brasileira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.