Polícia estoura cassino de sobrinho de Ivo Noal em Moema

Na hora da blitz, 30 pessoas estavam na casa de jogos

Andressa Zanandrea e Camilla Haddad, SÃO PAULO, O Estadao de S.Paulo

07 Agosto 2029 | 00h00

A Polícia Civil estourou um cassino clandestino que funcionava há cerca de um mês em Moema, na zona sul da capital. Eram 23 horas de anteontem, e as apostas de carteado, regadas a bebida, petiscos e cigarros, corriam soltas no Vegas Holden Clube. O que os donos da casa não contavam é que, entre os apostadores, estivessem dois policiais disfarçados de clientes.Segundo investigadores, o proprietário da casa é Eduardo Aulicino Noal, sobrinho do bicheiro Ivo Noal, condenado pela Justiça Federal por crimes contra a ordem tributária, sonegação fiscal e declaração falsa à Receita Federal.Todos os apostadores foram levados ao 15º DP (Itaim-Bibi), onde assinaram um termo circunstanciado e foram liberados. O gerente e o proprietário da casa vão responder em liberdade por prática de jogo de azar.O cassino foi descoberto pela polícia após uma denúncia anônima. Perto das 23 horas, homens do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) chegaram ao número 312 da Rua Bento de Andrade. Não se cobrava ingresso, pagava-se apenas o que se apostava. Ainda era possível beber e comer.Ao todo, 20 policiais participaram da ação. Naquele momento, cerca de 30 pessoas faziam apostas. Além deles, havia 12 funcionários, incluindo um massagista. ''''Depois que fecharam os bingos, procurei esta casa para me divertir, mesmo sabendo que é ilegal'''', disse uma senhora que pediu para não ser identificada.A polícia calcula que o dono chegava a lucrar R$ 10 mil por dia. A propaganda era boca-a-boca, mas também foram apreendidos folhetos de divulgação. O site do clube - fora do ar ontem à tarde - informava que as modalidades, entre elas pôquer, eram para maiores de 18 anos e que a casa estava autorizada a funcionar.''''Não é cassino. É uma associação sem fins lucrativos. A documentação está em ordem e há mais de dez sócios'''', disse Cezar Eduardo Prado Alves, advogado do dono e que disse não conhecer Ivo Noal. Alves afirmou que os prêmios eram troféus. ''''É só campeonato.''''A Subprefeitura da Vila Mariana informou que o alvará ainda estava em processo de liberação e que espera comunicação formal da polícia para fechar o local, onde havia videobingo, computadores, fichas e baralhos. A reportagem ligou para a casa de jogo ontem, e a funcionária disse que o estabelecimento estava fechado temporariamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.