Polícia estoura cativeiro em São Caetano do Sul

A localização de um automóvel Tempra branco utilizado na tarde desta sexta-feira no seqüestro do proprietário de uma indústria de artigos plásticos de São Caetano do Sul, na região do ABC paulista, possibilitou a policiais da Dise - Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes de São Bernardo do Campo estourar o cativeiro onde ele se encontrava. Além de libertar o empresário, que estava em um edifício Cingapura no Jardim Climax, na Zona Sul da capital paulista, a polícia conseguiu prender sete seqüestradores.A cena do seqüestro do empresário M.A.M., de 26 anos, ocorrido por volta das 18h00 da sexta-feira, foi gravada pelas câmeras do sistema de segurança da fábrica. Três homens o abordaram quando saía e o colocaram no Tempra, cuja placa EME-1943 foi anotada pelas testemunhas. Esse carro foi abandonado no Cingapura e a vítima, que estava algemada e vendada com um óculos revestido com camadas de fita crepe, foi colocada em uma perua Towner e levada para outro conjunto semelhante, na Rua Amélia, Jardim Climax, divisa entre os municípios de São Paulo e São Caetano.O encontro do automóvel, no início da noite, levou os policiais ao proprietário, que alegou ter sido vítima de roubo. Mas foram tantas as contradições que ele acabou confessando ter emprestado o veículo para um bando seqüestrar o empresário. Ele mesmo levou os agentes, comandados pelo delegado Gilmar Camargo Bessa, da Dise, ao bloco 3 daquele Cingapura. O seqüestrado estava, no último andar, em um apartamento abandonado, que foi todo preparado para que passasse alguns dias em cativeiro.Os criminosos já haviam feito contato com os familiares do empresário e exigido um resgate de R$ 300 mil. Os sete detidos foram levados à Dise que, em São Bernardo, também tem a responsabilidade de investigar seqüestros, e estão sendo autuados em flagrante. A polícia ainda não forneceu seus nomes, pois está sendo apurado se forneceram informações corretas sobre suas identidades.

Agencia Estado,

05 de outubro de 2002 | 05h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.