Polícia estoura cativeiro em SP

A polícia estourou na noite de ontem um cativeiro em Capão Redondo, zona sul de São Paulo. No local, foram encontrados uma pistola calibre 45, um colchonete, uma garrafa de água e embalagens vazias de bolacha. Foram detidas três pessoas, uma mulher adulta, sua filha de 15 anos e o namorado da jovem, de 17 anos. O cativeiro também era usado por seis outros seqüestradores, que estão foragidos.A mulher disse ser responsável pelo preparo da alimentação dos reféns e por tomar conta do local, juntamente com a filha e o jovem que, ao ser preso, portava uma pistola calibre 45.Eles revelaram que ontem foi libertada a vítima mais recente, a mulher de um comerciante local. Não sabem quanto foi pago de resgate. Assim que se viu livre, ela teria viajado e a polícia não conseguiu localizá-la. Os detidos afirmam que, geralmente, os reféns ficam cerca de uma semana no cativeiro e os resgates giram em torno de R$ 10 mil.No dia 27 de outubro último, foi libertado um jovem estudante, também de 17 anos, que seria filho de outro comerciante do bairro de Capão Redondo. O jovem foi seqüestrado no dia 21 daquele mês e o pai teria pago ao bando R$ 12 mil.A primeira vítima de que eles dizem ter conhecimento foi o proprietário de um estabelecimento comercial, que foi apanhado em meados de outubro e libertado às vésperas da data em que apanharam o estudante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.