Polícia estoura suposta fábrica de máquinas caça-níqueis

Policiais militares do 36º Batalhão acreditam ter estourado, às 21 horas desta terça-feira, na cidade de Taboão da Serra, na Grande São Paulo, uma fábrica de máquinas caça-níqueis. A Polícia Civil ainda irá analisar o material apreendido para afirmar se o local é mesmo uma fábrica ou apenas uma oficina de manutenção das máquinas.Foram apreendidas 39 máquinas completas, 15 carcaças de máquinas sem a placa responsável pelo funcionamento, 42 placas avulsas, 28 compartimentos onde são guardadas as notas (dinheiro) e um notebook.Durante patrulhamento pela Rua Basila Oliveira Ferreira, no Jardim Clementino, os policiais militares desconfiaram de uma picape parada em frente ao galpão. Na carroceria do veículo, havia duas máquinas caça-níqueis. Ao entrarem no galpão, além de encontrarem o restante das máquinas, detiveram 7 pessoas. Ao ser detido, Marcos Rogério de Abreu, de 31 anos, um dos donos do galpão, ligou para seu irmão, Paulo Sérgio de Abreu, de 37 anos, seu sócio, que foi até a suposta fábrica. Lá, ao oferecer R$ 3 mil para que os policiais fizessem vistas grossas, Paulo acabou detido por corrupção ativa. A sobrinha dos dois irmãos, Pamela Marques de Abreu, de 20 anos, e outras quatro pessoas também foram detidas. Todos foram encaminhados ao 1º Distrito Policial da cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.