Polícia fará exame de DNA para confirmar morte de traficante

A polícia do Rio localizou a mãe, um irmão e uma irmã do traficante Eduíno Eustáquio de Araújo, o Dudu, acusado de invadir a Rocinha em abril, com o objetivo de recolher material biológico deles para exame de DNA. Os resultados serão comparados ao DNA extraído de um corpo encontrado no sábado, que pode ser do bandido.Policiais da delegacia da Gávea já falaram com o irmão de Dudu por telefone e disseram que ele não se mostrou disposto a ceder material. Já o diretor de Polícia Técnica, Roger Ancillotti, afirmou que o rapaz vai cooperar e que a coleta será feita amanhã. A mãe e a irmã poderão ajudar caso o irmão se recuse. O teste será feito num laboratório particular, cujo nome não é divulgado para segurança da família do traficante.Na madrugada de 9 de abril, sexta-feira santa, Dudu comandou um grupo de criminosos que deixaram o morro do Vidigal em direção à Rocinha, em mais um episódio da luta pelo controle dos pontos de venda de droga. A guerra teve como saldo 13 mortos.Depois da invasão, Dudu foi procurado em diversas favelas do Rio, mas continuava foragido. Na semana passada, policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) travaram um tiroteio com traficantes do Complexo do Alemão, na zona norte do Rio, e disseram ter baleado o criminoso. O corpo encontrado no sábado estava perto de outra favela, na rua Itapiru, Catumbi (zona norte).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.