Polícia fará reconstituição da morte do caseiro de FHC

Policiais civis de Ibiúna e da Polícia Científica de Sorocaba fazem hoje(25) a reconstituição do assassinato do caseiro do presidente Fernando Henrique Cardoso, Joaquim Antonio da Silva, de 57 anos. Silva foi morto com dois tiros de revólver na noite de quinta-feira porque ameaçava denunciar uma quadrilha de ladrões de chácaras. Os autores do crime, Reginaldo José de Borba, de 25 anos, que fez os disparos e Luiz Alberto de Araújo, de 19, que lhe deu cobertura, serão levados ao local do crime juntamente com Júlio Cesar Farias Pulgar, o "Chileno", de 42 anos, que forneceu a arma do crime.Os três estão presos na cadeia de Piedade. A polícia preparou um esquema de segurança para dar cobertura à reconstituição que será feita no próprio local do crime, a casa do caseiro, na chácara de FHC. O inquérito que apura a morte deve ser concluído em 15 dias, contados do último sábado, quando os acusados foram presos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.