Polícia faz a maior apreensão de droga do Vale do Paraíba

A Delegacia de InvestigaçõesSobre Entorpecentes (Dise) de São José dos Campos, no Vale doParaíba, fez hoje a maior apreensão de droga da região. Umatonelada e meia de maconha foi apreendida num posto de gasolinaem Jacareí (SP). Durante a ação, os investigadores trocaramtiros com os acusados e houve perseguição pela Via Dutra. Adroga estava escondida num caminhão-baú, entre caixas demexericas e maçãs, que segundo a polícia, eram usadas paradisfarçar o cheiro da maconha. A polícia chegou até os acusados depois de investigar asnove centrais telefônicas desmanteladas na região, entre osmeses de fevereiro e abril deste ano. "A partir das centraiscomeçamos monitorar telefones, ouvir fitas gravadas e cruzarinformações. Assim chegamos à apreensão de hoje", conta odelegado responsável pelo flagrante, Carlos Alberto MacedoBastos. Por volta da meia-noite de ontem, trêsinvestigadores da Dise, aguardavam a chegada de um caminhão, quesaíra de Taubaté (SP) vazio para ser abastecido em BragançaPaulista (SP). No retorno, os acusados trariam a droga para serdistribuída para a região do Vale do Paraíba, Sul de Minas eLitoral Norte. O percurso para o transporte da maconha, entre BragançaPaulista e Jacareí, foi feito pelo caminhão (placas BQQ 2975Tremembé/SP) dirigido por Eduardo Elias Khayat, de 30 anos eescoltado por um Gol (placas CJQ 2069 Taubaté), conduzido porJorge Luiz Bueno, de 38 anos. No flagrante, Khayat foi detidosem reagir, mas Bueno atirou contra os policiais e saiu emdisparada pela Dutra. Mesmo ferido com dois tiros, o suspeitoestourou a cancela do pedágio do km 163 da Dutra, sentido SãoPaulo/Rio, para fugir. A polícia continuou a perseguição em altavelocidade, o que obrigou Bueno a parar o carro e se entregar. Ele foi levado ao Pronto-Socorro Jacareí onde passa bem.Para a polícia, Bueno é um dos líderes do tráfico no Vale doParaíba. Em uma semana, as apreensões de droga na região somaramduas toneladas de maconha e 37 quilos de cocaína pura. A drogaapreendida hoje foi avaliada pela polícia em cerca de R$ 600mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.