Polícia faz operação contra milícia e detêm policiais na BA

Foram detidos um soldado da PM, um delegado 5 agentes da 2ª Vara da Infância e da Juventude e um ex-carcereiro

Tiago Décimo, O Estado de S. Paulo

14 Abril 2011 | 11h30

SALVADOR - O delegado de Gandu, na Bahia, município a 295 quilômetros ao sul de Salvador, Madson Santos Barros, foi preso, na manhã desta quinta-feira, 14, acusado de liderar um grupo de extermínio que teria atuação tanto no interior quanto na capital e na região metropolitana.

 

A operação que resultou em sua prisão foi feita pela Polícia Civil, com o apoio da Polícia Militar (PM) e do Ministério Público (MP), que expediu 11 mandados de prisão e 13 de busca e apreensão. Também foram detidos um soldado da PM, cinco agentes da 2ª Vara da Infância e da Juventude e de um ex-carcereiro. Três acusados ainda são considerados foragidos.

 

Além disso, os policiais apreenderam nove pistolas, uma espingarda calibre 12, munição de diversos calibres, quatro algemas, dois coletes balísticos, dois uniformes da Polícia Civil e um distintivo da corporação.

 

As investigações sobre a quadrilha foram iniciadas em maio de 2009, após o assassinato de Marcos José dos Santos Barbosa, morto em casa, no município de Gandu, enquanto dormia. As apurações chegaram até o grupo liderado por Barros, que teria ordenado o homicídio, além de outros ocorridos em circunstâncias semelhantes.

 

Os detidos também são acusados de extorsão e usurpação de função pública. O delegado já havia sido detido em flagrante, duas vezes, por crimes como porte ilegal de armas e desacato, em 2008 e 2009.

 

Notícia atualizada às 16h

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.