Jadson Marques/AE
Jadson Marques/AE

Polícia faz operação contra milícias no Rio e 19 são presos

Cerca de 200 policias saíram às ruas para cumprir 45 mandados de prisão, principalmente na zona oeste

Pedro Dantas, de O Estado de S.Paulo, e Solange Spigliatti, da Central de Notícias,

10 Novembro 2009 | 08h08

Cerca de 200 homens de diversas delegacias especializadas realizam nesta terça-feira, 10, uma operação contra milícias na zona oeste do Rio. De acordo com a Secretaria de Segurança do Estado, a ação é a última fase da "Operação Têmis", que visa desarticular os milicianos ligados ao ex-policial militar Ricardo da Cruz Teixeira, o "Batman", detido desde maio, quando a ação foi iniciada. Até o fim da tarde, 19 pessoas já haviam sido presas.

 

Veja também:

link'Liga da Justiça' é denunciada por crimes eleitorais no Rio

 

Os agentes tentam cumprir 45 ordens de prisão e 145 mandados de busca e apreensão. Até o momento, não houve troca de tiros. Foram apreendidos um carro blindado, que pertence a um dos chefes da milícia, segundo a polícia, computadores e documentos. Em Campo Grande, na zona oeste carioca, um ex-fuzileiro naval foi detido em casa. Um policial militar conhecido como "Tomate", apontado como matador da Liga da Justiça, também foi detido.

 

As milícias são grupos paramilitares que exploram serviços como distribuição de gás, sinal pirata de TV a cabo e transporte alternativo. As quadrilhas dominam favelas da zona oeste da cidade sob a justificativa de expulsar o tráfico de drogas.

 

Em maio de 2008, uma equipe do jornal O Dia foi torturada da Favela do Batam, em Realengo. Desde então, a Secretaria de Segurança Pública iniciou um trabalho para coibir as atividades destes grupos de criminosos cujos integrantes algumas vezes são policiais, bombeiros, ex-militares e agentes penitenciários.

 

(Texto atualizado às 18h10)

Mais conteúdo sobre:
operação temis milicia Batman Rio violencia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.