Polícia faz operação para prender PMs e policiais civis no Rio

Suspeitos são acusados de arrecadar material apreendido em operações em comunidades da cidade

Solange Spigliatti, do estadão.com.br,

13 de dezembro de 2011 | 08h35

SÃO PAULO - Agentes da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança do Rio estão cumprindo nesta terça-feira, 13, mandados de prisão contra policiais militares e civis acusados de arrecadar material apreendido em operações em comunidades do Rio. Estão sendo cumpridos 19 mandados de prisão, entre eles 11 contra policiais militares e dois contra policiais civis, além do cumprimento de 24 mandados de busca e apreensão.

A Operação Herdeiros foi deflagrada após investigações identificarem dois grupos formados por policiais civis e militares que se associaram para arrecadar material apreendido em operações clandestinas ou mesmo em operações regulares, realizadas em favelas do Rio.

Os policiais obtinham informações sobre a localização de traficantes, armas e drogas e após a operação os materiais desviados eram vendidos a traficantes por meio de comparsas que realizavam uma espécie de ponte entre os policiais e os bandidos.

As investigações apontaram ainda que o destino dessas armas era a favela do Jacarezinho, em Benfica, zona norte do Rio. Nessa comunidade, as negociações entre os traficantes e os policiais criminosos eram feitas, principalmente, por um ex-militar do Exército identificado como Asdrubal Bacon Dias Marques Junior, o Juninho.

Dez pessoas foram presas em flagrante por porte ilegal de arma de fogo, munição e tráfico de drogas durante as investigações. Entre os presos está também o ex-chefe de segurança da Câmara de Vereadores de Niterói. Com ele foi encontrado uma carteira falsa da Polícia Civil. O segurança já foi exonerado do cargo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.