Polícia Federal apreende 700 quilos de maconha em Ribeirão Preto, SP

Vinte caixas foram encontradas em residência; é a maior apreensão de maconha do ano na cidade

O Estado de S. Paulo

25 de julho de 2012 | 09h23

SÃO PAULO - A Polícia Federal realizou na segunda-feira, 23, a maior apreensão de maconha neste ano em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. Foram encontrados 700 quilos da droga em uma residência no bairro Engenheiro Carlos Lacerda, na zona oeste da cidade.

No local, que servia como entreposto de distribuição do entorpecente, moravam um casal e duas crianças, que estavam em casa no momento do flagrante. Agentes da PF ficaram de campana durante a noite e viram um Gol saindo da casa com cinco caixas de papelão com maconha, por volta das 22h. Ao entrar na residência, encontraram mais 15 caixas do mesmo tamanho, totalizando 700 quilos. Havia também uma lista com a contabilidade do tráfico contendo 15 nomes, entre clientes e fornecedores.

"Ao menos 1,5 tonelada da droga foi movimentada ali, entre compra e venda", informou o delegado Lindinalvo de Almeida Filho, chefe da PF em Ribeirão. As drogas vinham do Mato Grosso do Sul e eram vendidas em Ribeirão Preto e região.

Ao ser abordado, o pai das crianças afirmou que havia recebido R$ 4 mil para guardar os pacotes, justificativa refutada por Almeida Filho. As caixas estavam trancadas nos quartos das crianças e o pai, cuja identidade não foi revelada, afirmou que a mulher não sabia do que se passava. Ele contou que trancou a porta e disse à mulher que perdeu a chave.

Apesar dos argumentos, o casal e o condutor do automóvel que saía com a droga foram presos em flagrante. Os dois homens foram levados para o Centro de Detenção Provisória de Ribeirão e a mulher, para a Cadeia Feminina de Cajuru. Eles responderão por tráfico e associação ao tráfico e podem pegar até 25 anos de prisão, segundo o delegado. As crianças estão na casa de parentes em Ribeirão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.