Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Polícia Federal deve facilitar trâmites para quem quer ter arma em casa, defende Bolsonaro

Decreto das armas baixado pelo presidente poderá ser derrubado pelo Congresso; votação no Senado ocorre nesta terça. Bolsonaro diz que, mesmo assim, PF não deve dificultar pedido de quem quer ter arma em casa

Teo Cury e Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2019 | 20h11

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira, 18, que, se o Senado derrubar o decreto que flexibiliza a posse e o porte armas, irá determinar ao ministro da Justiça, Sergio Moro, que a Polícia Federal não dificulte quem quiser ter armas em casa. Ele conversou com jornalistas após um evento no Palácio do Planalto.

O projeto que anula os efeitos do decreto de Bolsonaro está na pauta do plenário do Senado desta terça-feira, 18. Na semana passada, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa rejeitou o relatório do senador Marcos do Val (Cidadania-ES) favorável ao decreto presidencial e encaminhou para plenário um parecer alternativo do senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) favorável a anular os efeitos do ato presidencial.

“Não tem plano B (caso o decreto seja derrubado). A Polícia Federal está sob meu comando. No Brasil, o grande reclamo do pessoal do passado era que a PF, na questão de efetiva necessidade, tinha dificuldade… Eu, como presidente, isso vai ser atenuado, porque vou determinar junto ao ministro Sergio Moro, que tem a PF abaixo dele, para a gente não driblar, e não dificultar quem quer, porventura, ter arma em casa”, afirmou.

O presidente voltou a dizer que seu governo quer que o “legítimo direito de defesa” seja “exercido por todos aqui no Brasil” e repetiu que não está descumprindo a lei, mas respeitando a decisão da população, que, em 2005, optou pelo direito de comprar armas e munições em um referendo.

“Tenho conversado com os senadores e tem aquele pessoal de esquerda que é sempre contra, né? Toda boa ditadura é precedida de desarmamento. O povo da Venezuela não teve como reagir. Se tivesse, não estaria acontecendo tudo aquilo.”

Tudo o que sabemos sobre:
Jair Bolsonarodesarmamentoarma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.