Polícia Federal fecha nove rádios piratas em SP

A Delegacia de Repressão a Crimes Fazendários da Polícia Federal de São Paulo fechou hoje nove rádios piratas que funcionavam irregularmente na capital e na Grande São Paulo. A operação, denominada ´Sintonia 2´, foi a segunda maior do gênero realizada este ano pela PF. No total, 11 locais foram vistoriados, mas ninguém foi preso. Participaram da ação 30 policiais, além de seis agentes da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A maioria dos mandatos de busca e apreensão foram cumpridos na região leste de São Paulo. Pelo menos duas emissoras clandestinas tinham capacidade para chegar a 400 watts de potência, podendo atingir cerca de oito quilômetros de diâmetro. Para se ter uma idéia, uma rádio comunitária legalizada tem autorização para funcionar em até 25 watts de potência, o que dá apenas um quilômetro de diâmetro. Os responsáveis pelas rádios clandestinas fechadas responderão por atividade indevida de radiodifusão. No entanto, se ficar comprovado que os equipamentos apreendidos tinham capacidade para provocar um acidente aéreo, os proprietários poderão responder por crime de atentado contra a segurança de transporte aéreo, cuja pena varia de dois a cinco anos de reclusão. Este ano, a Polícia Federal já fechou mais de 50 rádios que atuavam de forma irregular na Grande São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.