Polícia Federal liberta todos os presos por fraude ao Detran

Prisão temporária expirava nesta quinta-feira e tinha o objetivo de evitar depoimentos combinados

Elder Ogliari, do Estadão,

14 de novembro de 2007 | 18h59

Os últimos cinco acusados de participar do esquema que desviou cerca de R$ 40 milhões do Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran/RS) foram libertados pela Polícia Federal na noite de terça-feira, 13. Outras oito pessoas presas no dia 6, numa operação denominada Rodin, haviam sido soltas nos últimos dias. A prisão temporária decretada pela Justiça expirava nesta quinta-feira e tinha o objetivo de evitar depoimentos combinados. O esquema descoberto pela polícia envolvia o comando do Detran, que dispensou licitação para contratar a Fundação de Apoio à Ciência e Tecnologia (Fatec) e sua sucessora, a Fundação para o Desenvolvimento e o Aperfeiçoamento da Educação e da Cultura (Fundae), para elaboração dos exames de avaliação teórica e prática de habilitação de motoristas. As fundações, por sua vez, subcontratavam empresas, que superfaturavam os serviços. A investigação indicou que parte do dinheiro arrecadado pelas empresas era encaminhada a diretores do Detran. A Polícia Federal informou que o inquérito vai indiciar os acusados de participação no esquema por crimes como fraude em licitações, formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva, estelionato e sonegação fiscal.

Mais conteúdo sobre:
Detranfraude

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.