Polícia Federal prende 26 em operação contra o garimpo ilegal em Roraima

Atividade irregular causa danos ambientais; 11 aviões foram apreendidos pelos policiais

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

14 de julho de 2012 | 00h58

Atualizado à 1h30

 

SÃO PAULO - Policiais federais e integrantes do Ministério Público Federal (MPF) realizaram, nesta sexta-feira, 13, em Roraima, a Operação Xawara, de combate ao garimpo ilegal na terra indígena Yanomami, localizada na região de Mucajaí, a 50 quilômetros da capital Boa Vista.

 

Segundo a Polícia Federal (PF), a extração de ouro ocorre nos leitos dos rios por meio do bombeamento do material do fundo para a superfície de grandes balsas ou pela lavra em barrancos, causando forte impacto ambiental. Durante as investigações, a PF identificou cinco grupos criminosos que atuam na região e que são formados por aviadores, empresários ligados ao ramo de joalheria e proprietários de balsas e motores utilizados na extração do ouro.

 

As aeronaves aprendidas durante a operação eram responsáveis pelo transporte de pessoas, maquinário, alimentação, mercúrio e munição para arma de fogo. Segundo a PF, os agentes prenderam 26 pessoas, entre elas pilotos, mecânicos e empresários proprietários de balsas e motores. Foram apreendidas 11 aeronaves e 12 veículos. Foram cumpridos 33 mandados de prisão temporária e 44 de busca e apreensão.

 

Todos os detidos que tinham licença para pilotar irão perder a autorização. Xawara, segundo a PF, na linguagem indígena, significa epidemia ou então doenças causadas pela fumaça proveniente do processo de precipitação do ouro através da queima do mercúrio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.