Polícia Federal prende 8 supostos integrantes da cúpula do jogo do bicho no Rio

PF cumpre 10 mandatos; prisões, parte da Operação Hurricane, foram feitas no Rio de Janeiro e em Niterói

Solange Spigliatti, estadão.com.br

13 Março 2012 | 08h43

SÃO PAULO - Oito pessoas foram presas na manhã desta terça-feira, 13, acusadas de integrar a cúpula do jogo do bicho no Rio, segundo informações da Polícia Federal. Dois seguem foragidos. A ação para cumprir 10 mandados de prisão -- um em caráter domiciliar -- é resultado das investigações da operação Hurricane.

As prisões foram realizadas no Rio e em Niterói. Entre os presos está o patrono da Beija-Flor, Anísio Abrahão Diniz.

Entre os presos, segundo a PF, estão alguns dos principais acusados de explorar o jogo ilegal e as máquinas caça-níqueis no Estado.

Os presos foram conduzidos à Polícia Federal e depois serão levados para o sistema penitenciário do Rio.

Anísio. O patrono da escola de samba já havia sido preso em janeiro deste ano, em Copacabana, na zona sul do Rio, dois dias após o Tribunal de Justiça revogar o habeas corpus que garantia a liberdade dele.

Além dos crimes ligados a contravenção, Anísio foi preso em flagrante por formação de quadrilha armada, pois estava acompanhado por um policial civil armado que fazia sua segurança.

O contraventor teve a prisão preventiva suspensa pelo Superior Tribunal de Justiça na semana passada.

Mais conteúdo sobre:
Jogo do bichoPFRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.