Polícia Federal prende quadrilha de traficantes de armas no RS

Criminosos usavam armamento para traficar drogas nas regiões metropolitana de Porto Alegre e da fronteira

Solange Spigliatti, da Central de Notícias,

23 Julho 2009 | 13h27

A Polícia Federal desmantelou nesta quinta-feira, 23, uma quadrilha especializada em tráfico de armas provenientes do Uruguai para utilização em tráfico de drogas e roubos na região da fronteira oeste e na Zona Metropolitana de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

 

A Operação Mercador contou com cera de 40 policiais, que cumpriram oito mandados de busca e apreensão e 12 mandados de prisão expedidos pela Justiça Federal de Santana do Livramento.

Segundo o delegado Luís Eduardo Navajas, entre os presos, quatro já se encontravam encarcerados, enquanto outro cumpria pena no regime semiaberto por tráfico de drogas. Um dos líderes da quadrilha comandava o esquema criminoso por celular, de dentro de uma penitenciária em Livramento.

 

Os mandados foram cumpridos em Porto Alegre, Santana do Livramento, Quaraí, Dom Pedrito, Pinhal e Alvorada. Dois mandados de prisão não foram cumpridos e as pessoas seguem foragidas, uma em Porto Alegre e outra em Rivera, no Uruguai, segundo o delegado.

 

As investigações tiveram início em dezembro de 2008, com a instauração de Inquérito Policial para apuração do comércio ilícito de armas de fogo no município de São Gabriel.

 

A partir das diligências realizadas, constatou-se a existência de quadrilha especializada na introdução em território nacional de armas de procedência estrangeira, todas de calibre restrito, para utilização em roubos e tráfico de drogas.

 

Na maior parte dos casos, as armas eram fornecidas a integrantes do grupo criminoso em troca de drogas, segundo a PF. A partir do mês de março, foram realizadas seis prisões em flagrante, nas quais foram apreendidas drogas (principalmente cocaína e crack) e armas (pistolas calibre .45 e 9 milímetros).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.