Polícia identifica bando que explora turistas estrangeiros no Rio

Delegacia especializada faz operação para cumprir mandados de prisão preventiva contra integrantes do grupo

Solange Spigliatti, estadao.com.br

06 de agosto de 2008 | 14h59

A polícia do Rio identificou uma quadrilha que explorava turistas estrangeiros na cidade. Segundo a polícia, o grupo era comandado por Brocce Davidson Araújo Januário, vulgo Lord Banks. Os policiais da Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (Deat) iniciaram uma operação na manhã desta quarta-feira, 6, com o objetivo de cumprir mandados de prisão preventiva do grupo decretados pelo juízo da 20.º Vara Criminal.  De acordo com os agentes, Banks, com fluência em seis idiomas, oferecia aos estrangeiros a intermediação com garotas de programa de Copacabana. Os encontros eram marcados em um hotel no mesmo bairro. Com a participação do funcionário da recepção, Raimundo Nonato Cordeiro Araújo, e do próprio dono do hotel, Carlos Vasques Fernandez, eram debitados altos valores no cartão de crédito do turista. Ainda de acordo com os policiais, diárias de R$ 200 eram majorados para R$ 800. Por cada garrafa de champanhe era cobrado R$ 1.500. O grupo também incluía no cartão do turista cobranças de itens que não eram consumidos. Nos casos investigados pela Deat, os débitos nos cartões de cada turista ultrapassam R$ 11mil. A quadrilha, segundo a polícia, contava ainda com garotas de programa, entre elas, Roberta Elaine Oliveira de Araujo, conhecida como Cris, para fornecer drogas para o consumo dos turistas.  Os autores foram denunciados pelo Ministério Público pelos crimes de estelionato, casa de prostituição, tráfico de drogas e formação de quadrilha, com penas que podem chegar a 51 anos de reclusão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.