Polícia identifica bando que explora turistas estrangeiros no Rio

Delegacia especializada faz operação para cumprir mandados de prisão preventiva contra integrantes do grupo

Solange Spigliatti, estadao.com.br

06 Agosto 2008 | 14h59

A polícia do Rio identificou uma quadrilha que explorava turistas estrangeiros na cidade. Segundo a polícia, o grupo era comandado por Brocce Davidson Araújo Januário, vulgo Lord Banks. Os policiais da Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (Deat) iniciaram uma operação na manhã desta quarta-feira, 6, com o objetivo de cumprir mandados de prisão preventiva do grupo decretados pelo juízo da 20.º Vara Criminal.   De acordo com os agentes, Banks, com fluência em seis idiomas, oferecia aos estrangeiros a intermediação com garotas de programa de Copacabana. Os encontros eram marcados em um hotel no mesmo bairro. Com a participação do funcionário da recepção, Raimundo Nonato Cordeiro Araújo, e do próprio dono do hotel, Carlos Vasques Fernandez, eram debitados altos valores no cartão de crédito do turista.   Ainda de acordo com os policiais, diárias de R$ 200 eram majorados para R$ 800. Por cada garrafa de champanhe era cobrado R$ 1.500. O grupo também incluía no cartão do turista cobranças de itens que não eram consumidos. Nos casos investigados pela Deat, os débitos nos cartões de cada turista ultrapassam R$ 11mil. A quadrilha, segundo a polícia, contava ainda com garotas de programa, entre elas, Roberta Elaine Oliveira de Araujo, conhecida como Cris, para fornecer drogas para o consumo dos turistas.   Os autores foram denunciados pelo Ministério Público pelos crimes de estelionato, casa de prostituição, tráfico de drogas e formação de quadrilha, com penas que podem chegar a 51 anos de reclusão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.