SAP/Divulgação
SAP/Divulgação

Polícia identifica executores de Gegê e Paca no Ceará

Foram expedidos mandados de prisão temporária contra seis acusados pelo assassinato da dupla que chefiava os negócios do PCC fora da cadeia

Lauriberto Braga, Especial para o Estado

03 Março 2018 | 11h29

A polícia cearense apontou nesta sexta-feira, 2, seis acusados de terem matado os chefes do Primeiro Comando da Capital (PCC), Gegê do Mangue (Rogério Jeremias de Simone) e Paca (Fabiano Alves de Souza), em 15 de fevereiro, na reserva indígena Jenipapo-Kanindé, em Aquiraz, na região metropolitana de Fortaleza.

Foram expedidos mandados de prisão temporária contra Neguinho Rick da Baixada (Erick Machado Santos), Andrezinho da Baixada (André Luiz da Costa), Ronaldo Pereira Costa, Thiago Aparecido de Sá de Lima, Fuminho (Gilberto Aparecido dos Santos) e Cabelo Duro (Wagner Ferreira da Silva). Cabelo Duro foi morto em São Paulo, no último dia 22 de fevereiro. A Polícia apurou que os seis foram os executores de Gegê e Paca e que a ordem para a morte da dupla partiu de Fuminho.

+++ ‘Estado precisa reagir contra o PCC’, diz procurador

O delegado André Costa, secretário da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) do Ceará e que chefia as investigações, disse nesta sexta-feira, em entrevista coletiva em Fortaleza, que os seis executores chegaram a Fortaleza, no dia 6 de fevereiro, onde ficaram hospedados num hotel da Av. Beira-Mar para, no dia 15, matarem Gegê e Paca.

+++ Não haverá guerra do PCC no Estado, diz secretário da Segurança

O piloto Felipe Ramos Morais levou os executores e os os ex-mandatários do PCC, Gegê e Paca, para a reserva indígena em um helicóptero comprado pela organização criminosa por R$ 3 milhões. A polícia ainda não conseguiu prender nenhum dos cinco executores vivos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.