Polícia identifica homem que arrombou restaurantes da Câmara dos Deputados

Crime ocorreu no último dia 23; homem está em liberdade condicional e tem na 28 passagens pela polícia por furto

Agência Brasil,

27 Agosto 2012 | 19h00

BRASÍLIA - A Polícia Legislativa da Câmara dos Deputados anunciou nesta segunda-feira, 27, a identidade do responsável pelo furto a uma lanchonete e dois restaurantes nas dependências da Casa, ocorrido na última quinta-feira, 23. O acusado é Gilson Gondim Caló, de 28 anos, morador da Vila Planalto, a cerca de 5 quilômetros do Congresso Nacional.

Apesar de todo o aparato de segurança da Câmara dos Deputados em homens e equipamentos, o furto ocorreu por volta das 2h da madrugada e só foi percebido às 7h da manhã, quando funcionários dos estabelecimentos chegaram para o trabalho. A Polícia Legislativa descartou a participação de um segundo arrombador.

De acordo com a Polícia Legislativa, Caló está em liberdade condicional e tem na ficha criminal 28 passagens pela polícia por furto. Essa é a quarta vez que Caló pratica furtos na Câmara. Ele já furtou objetos no interior de um veículo e se apossou de bens aproveitando-se da distração dos donos.

O agente José da Costa Rocha, que participou das investigações, informou que a perícia realizada no local identificou a digital de Gilson Caló em um monitor do restaurante. Além disso, o assaltante foi flagrado pelas imagens do circuito interno de segurança.

No roubou, foram levados um computador, sorvetes e chocolates dos três locais que são administrados pela concessionária Naturetto. De acordo com o policial legislativo, como não houve flagrante, Gilson Caló não pode ser preso. Os agentes da Polícia Legislativa foram até a casa do assaltante e a mãe disse que o filho é usuário de drogas e que pratica esses crimes para comprar o produto.

Como não houve dano ao patrimônio da Câmara, o inquérito será enviado à Justiça Comum. "Ele será indiciado por furto qualificado e, com certeza, perderá o direito à condicional", disse Rocha.

Mais conteúdo sobre:
assalto Câmara dos Deputados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.