Polícia indicia dono e funcionária de lotérica em Novo Hamburgo-RS

Prêmio de R$53,3 seria divido entre 35 apostadores, porém funcionária esqueceu de registrar aposta; ambos responderão por estelionato

Priscila Trindade, do estadão.com.br

23 de março de 2010 | 18h03

A polícia indiciou pelo crime de estelionato nesta terça-feira, 23, o dono da lotérica "Esquina da Sorte" e a funcionária que esqueceu de registrar uma aposta do bolão da Mega Sena em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul. A informação é do delegado Clóvis Nei da Silva, da 2ª Delegacia de Polícia do município.

 

O caso passou a ser investigado quando clientes procuraram a polícia para reclamar o fato de não terem recebido o prêmio da Mega Sena por que uma funcionária se esqueceu de registrar a aposta. Eles acertaram as seis dezenas sorteadas no concurso 1.155. Caso a aposta tivesse sido registrada no sistema da Caixa Econômica Federal (CFE), os 35 apostadores dividiriam R$ 53,3 milhões. Os cartões impressos entregues a eles como comprovantes informais

 

Em depoimento à polícia a funcionária afirmou ter esquecido de repassar a aposta à Caixa. Um vídeo do circuito interno da lotérica mostra o momento em que a mulher descobre que o bolão não foi registrado. O dono da lotérica disse que também foi prejudicado pois também deixou de ganhar parte do prêmio porque ficou com quatro cotas não comercializadas do bolão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.