Polícia indicia mais 18 pessoas em novos inquéritos da boate Kiss

Indiciados foram apontados em investigação sobre possível fraude no laudo acústico e no Estudo de Impacto de Vizinhança do local

Chico Guevara, Especial para O Estado

18 de julho de 2014 | 18h58

PORTO ALEGRE - Mais 18 pessoas foram indiciadas pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul em dois novos inquéritos iniciados após a tragédia da boate Kiss, em Santa Maria. No dia 27 de janeiro de 2013, um incêndio causou a morte de 242 pessoas.

Desta vez, os indiciados foram apontados em uma investigação que apura possível fraude no laudo acústico da boate e no Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV). Há suspeitas de irregularidades que vão desde a elaboração dos documentos e a aceitação pela prefeitura municipal, até a emissão de alvarás por parte do poder Executivo de Santa Maria. Para a polícia, há também prática de crime ambiental pela poluição sonora da boate e a omissão da prefeitura em sanar a questão.

Os indiciados são: Volmir Astor Panzer, Jackson Heitor Panzer e Luciane Flores Prestes (por falso testemunho); Tiago Flores Mutti, Alexandre Silva da Costa, Cristina Gorski Trevisan, Marcos Vinicius Ramos Moraes, Luiz Alberto Carvalho Junior e Carlos Alberto Souza Buzatti (por crimes contra a administração ambiental); Elza Maria Prola (por fraude processual); Luiz Alberto Carvalho Junior (por prevaricação).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.