Polícia indicia quarto suspeito pela morte do menino Bernardo

Evandro Wirganovicz, irmão de Edelvânia Wirganovicz, teria ajudado a abrir a cova em que o corpo da criança foi depositado

Chico Guevara, Especial para O Estado

06 de junho de 2014 | 22h22

PORTO ALEGRE - Mais um suspeito de participar do assassinato do menino Bernardo Boldrini, 11 anos, no dia 4 de abril, no noroeste gaúcho, foi indiciado. Trata-se de Evandro Wirganovicz, irmão de Edelvânia Wirganovicz, 40, que já virou ré no caso, assim como o pai do menino, o médico Leandro Boldrini, 38, e sua mulher, Graciele Ugulini, 31.

Evando foi preso às vésperas de a Polícia Civil da cidade de Três Passos concluir o inquérito,que indiciou os três por homicídio quadruplamente qualificado (motivos torpe e fútil, emprego de veneno e recurso que dificultou a defesa da vítima) e ocultação de cadáver.

Com base no depoimento de um policial, a polícia confirmou que ele esteve presente no local em que o menino foi enterrado dias antes. Para os policiais, Evandro ajudou Graciele e Edelvânia a abrir a cova em que o corpo de Bernardo foi depositado.

O complemento do inquérito policial foi entregue nessa sexta-feira. O MP deve oferecer denúncia contra Evandro, que está preso, e aguardar a manifestação da Justiça. Bernardo desapareceu na sexta-feira 4 de abril, em Três Passos, cidade a 470 km de Porto Alegre. O corpo foi encontrado no dia 4, no interior da cidade vizinha de Frederico Westphalen, dentro de um saco plástico e enterrado às margens do rio Mico, na localidade de Linha São Francisco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.