Polícia indicia quatro suspeitos de envenenar mais de 100 cães no RS

Indiciados são funcionários da prefeitura; três deles admitiram ter espalhado veneno, mas disseram que ordem partiu de secretário

Lucas Azevedo , Especial para O Estado

01 Dezembro 2014 | 20h49

PORTO ALEGRE - A Polícia Civil do Rio Grande do Sul indiciou quatro funcionários da prefeitura municipal de Bom Jesus, no norte do Estado, pela morte de cães e gatos envenenados. Cento e vinte nove animais (126 cães e 3 gatos) foram encontrados mortos pelas ruas entre os dias 19 e 20 de novembro.

Depois de ouvir testemunhas e verificar imagens de câmeras de vigilância, a polícia chegou a veículos suspeitos. O próximo passo foi identificar os supostos autores dos crimes. Três funcionários da prefeitura admitiram que espalharam veneno pela cidade. Eles disseram, porém, que executaram a ordem do secretário do Desenvolvimento Econômico do município, Rafael Oliveira Silveira. Ele nega.

O titular da pasta é noivo da delegada que deu início à investigação. Na última sexta-feira, Thalita Giacometti Andrich pediu afastamento do caso por não se achar a pessoa indicada para dar andamento ao inquérito por causa da relação com o investigado.

Os suspeitos foram indiciados por maus tratos contra animais e associação criminosa, cujas penas variam de dois a cinco anos de prisão.

Mais conteúdo sobre:
Rio Grande do Sul Bom Jesus

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.