Polícia interroga suspeitos de massacre de moradores de rua

A polícia está interrogando os dois homens suspeitos de participar de massacre de moradores de rua no Centro de São Paulo. Quatro testemunhas foram chamadas ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para que tentassem reconhecer os dois homens pessoalmente como participantes dos ataques que deixaram sete mortos e oito feridos nos dias 19, 20 e 22 de agosto.Na tarde de ontem a casa de um dos suspeitos havia sido revistada pelos investigadores do Departamento por meio de um mandado de busca de apreensão expedido pelo juiz Rui Porto Dias, do 1º Tribunal do Júri.No imóvel, localizado em uma rua do Centro onde ocorreu um dos ataques, os policiais apreenderam uma roupa preta, semelhante a que os agressores dos mendigos teriam utilizado. A vestimenta foi encaminhada ao Instituto de Criminalística para ser examinada pelos peritos criminais em busca de manchas de sangue.O suspeito que teve a casa revistada é um segurança de rua, tio de um guarda civil. Por enquanto, segundo os responsáveis pela investigação, não há prova contra o guarda.O outro suspeito seria um homem que tem os cabelos raspados, à exemplo da descrição feita pela testemunha em um dos retratos falados divulgados pelo DHPP.Os suspeitos negam as acusações, mas os policias não descartam a hipótese de pedir a prisão temporária de ambos.

Agencia Estado,

14 de setembro de 2004 | 19h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.