Polícia investiga 12 mil que baixaram vídeo com menores fazendo sexo

Transmissão ao vivo de dois jovens, um menino e uma menina, fazendo sexo foi visto por mais de 26 mil pessoas; polícia procura terceiro usuário que gravou e distribuiu imagens

Fabiana Marchezi, do estadão.com.br

29 de julho de 2010 | 16h39

SÃO PAULO - Mais de 12 mil usuários que baixaram o vídeo em que dois adolescentes aparecem fazendo sexo ao vivo serão investigados pela Delegacia de Repressão aos Crimes Informáticos de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

 

As imagens teriam sido vistas por mais de 26 mil pessoas por meio da ferramenta Twitcam, na madrugada desta segunda-feira, 26. Segundo o delegado Emerson Wendt, responsável pelas investigações, os dados do usuário que disponibilizou o vídeo na página será pedido ao site de hospedagem de arquivos 4shared.com.

 

O usuário pode ser indiciado por divulgar imagens de sexo com adolescentes. A pena para esse tipo de crime pode variar entre três e seis anos de prisão e multa.

 

DEPOIMENTO

Os dois adolescentes, um menino e uma menina, que divulgaram as cenas na internet foram identificados, ouvidos pela polícia do Rio Grande do Sul e liberados na terça-feira, 27. O computador do jovem foi apreendido para perícia. De acordo com o delegado, no depoimento o jovem explicou a transmissão como resultado de uma aposta. Como perdedora, a garota teria aceitado se submeter à exposição virtual, sem ter sido forçada a tanto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.