Polícia investiga benefícios a policiais presos no Paraná

Secretário de Segurança classifica caso como 'inaceitável' e diz que envolvidos serão 'punidos com rigor'

18 Agosto 2009 | 10h04

Benefícios a ex-policiais presos no Paraná vão ser investigados pela Corregedoria da Polícia Civil do Estado. Imagens divulgadas por uma rede de televisão mostram policiais presos usando celulares no pátio de uma delegacia. "Assim como a população fica indignada com esta situação, nós também ficamos. É inaceitável o que aconteceu e todos serão punidos com rigor", disse o secretário da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari.

 

A Corregedoria vai apurar o possível envolvimento de funcionários da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos no caso. Delazari anunciou que deverá afastar todos os responsáveis assim que sejam identificados.

 

Ao saber das denúncias, Delazari determinou que uma equipe do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e da Corregedoria fizesse uma revista nas celas da DFRV. A operação começou por volta das 21h30 e durou cerca de uma hora. Nenhum telefone celular, faca ou outro objeto proibido foi encontrado.

 

A Corregedoria tem 30 dias para concluir o inquérito que vai apurar em que circunstâncias os presos tiveram acesso a aparelhos celulares e objetos proibidos dentro da carceragem. Além do inquérito, será aberto procedimento administrativo que poderá causar uma sindicância ou processo disciplinar.

 

Caso fique comprovado, a punição pode ser de suspensão até demissão dos envolvidos. As imagens veiculadas já foram solicitadas e farão parte do inquérito.

 

Os presos que aparecem nas imagens foram identificados pela polícia. André Alves Sampaio que aparece usando um celular com fone de ouvido está preso por porte ilegal de armamento de uso restrito. Joraci Ramos - que caminha em cima dos veículos - foi indiciado por roubo e formação de quadrilha.

 

Antonio de Jesus de Lima, flagrado dentro de um carro com os pés apoiados na porta, responde por tráfico de drogas. Ediomar de Oliveira, que aparece retirando um espelho de um carro, responde por furto, formação de quadrilha, corrupção e violação de sigilo funcional. Ronie César Garcia, que fica encoberto pelas árvores enquanto atende ao celular, responde por formação de quadrilha, corrupção e violação de sigilo funcional.

Mais conteúdo sobre:
policiais presos Paraná

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.