Polícia investiga carcereiro acusado de ligação com o PCC

Um carcereiro que estava atuando na Cadeia da Guanabara, em Franca, na região de Ribeirão Preto, foi afastado de suas funções na semana passada e está sendo investigado pela Polícia Civil por possível ligação com a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Ele também estaria envolvido na facilitação de fuga de um preso, que saiu pela porta da frente, ocorrida neste mês. Na sexta-feira, 22, a mulher do carcereiro foi flagrada, numa agência bancária, ao tentar sacar dinheiro, mas a conta estava bloqueada, por determinação do Ministério Público Estadual e do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), pois estava sendo investigada por suposto uso por parte de criminosos. Ela foi levada à delegacia para prestar esclarecimentos.O delegado seccional de Franca, Maury de Camargo Segui, está cuidando pessoalmente do caso. Se ficar comprovada a ligação do carcereiro com o crime organizado, o funcionário responderá processo por favorecimento ao crime e até poderá ser demitido. O carcereiro, que está fazendo serviços burocráticos na Seccional, estava sendo investigado desde o começo do ano, inclusive com monitoramento de escutas telefônicas autorizadas pela Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.