Polícia investiga envolvimento de PM com assaltante preso no Rio

Corporação disse que vai punir caso seja confirmado que policial abrigava foragido que vivia no Alemão

Pedro Dantas, Priscila Trindade e Luciana Fadon Vicente, Estadão.com.br

07 de dezembro de 2010 | 11h50

RIO - A Polícia Militar informou que haverá investigação e punição, caso fique confirmado o envolvimento do policial militar com o assaltante e homicida Edson Ventapane da Silva, o Mãozinha, preso na segunda-feira por agentes da Delegacia de Roubos e Furtos.

 

Veja também:

linkRio dará bonificação de R$ 500 a policiais

linkAlemão recebe reforço de mais 250 PMs

especialINFOGRÁFICO - O mapa das facções cariocas

lista CRONOLOGIA - A crise de violência no Rio

mais imagens FOTOS - A onda de violência no Rio

 

Silva foi apresentado na manhã desta terça-feira, 7, como suspeito de integrar uma quadrilha especializada em roubo de veículos e de cargas no Rio. O irmão dele, Emerson Silva, o Mão, foi preso na semana passada.

 

De acordo com as primeiras informações, o acusado estava escondido na casa de um primo que é PM e seria lotado no gabinete do comandante da corporação, Mário Sérgio Duarte. Depois, porém, o coronel da corporação, Lima Castro, afirmou que o suspeito foi detido na casa da mãe de um cabo da polícia.

 

O cabo foi detido para prestar esclarecimentos e desmentiu ter dado abrigo a Mãozinha, do qual disse ser primo. Segundo o PM, que não foi identificado, ele mora com a mulher em outra residência.

 

A quadrilha de Mãozinha promovia assaltos por toda a cidade e se refugiava no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio. Com a ocupação do conjunto de favelas, ele buscou abrigo na casa de parentes.

 

Contra ele havia um mandado de prisão por latrocínio, expedido pela Justiça.

 

Atualizado às 12h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.