Polícia investiga fuga de presos em carro de investigador

A criminalidade no Rio não pára de mostrar sua ousadia e de desafiar a polícia. Na sexta-feira, bandidos invadiram a 76ª Delegacia de Polícia, em Niterói, renderam o carcereiro e retiraram seis presos. Na "pescaria" - jargão da polícia para denominar resgate de presos -,os bandidos teriam fugido no carro de um dos detetives de plantão. A utilização do carro do policial não foi confirmada oficialmente. Mas a informação é de que foi aberta sindicância interna para apurar se houve conivência de policiais.Esta não é a primeira vez que bandidos afrontam a autoridade policial em sua própria corporação. Há dois meses, quatro homens explodiram uma granada em frente ao prédio e metralharam a Secretaria de Estado de Direitos Humanos, em Botafogo, zona sul. Dois funcionários ficaram feridos. Os bandidos deixaram um cartaz contendo ameaças de responder à bala qualquer ação arbitrária contra os "irmãos na cadeia".Na fuga, os criminosos, que segundo a polícia têm ligação com a facção paulista Primeiro Comando da Capital (PCC) e com vários grupos do Rio, ainda atiraram contra uma cabine da Coordenadoria de Vias Especiais do município e num carro da Polícia Militar, na entrada do Túnel Santa Bárbara, em Laranjeiras, a 500 metros da sede do governo estadual.Em janeiro deste ano, 15 homens usando coletes da Polícia Federal tentaram resgatar três presos de Bangu 4 que prestavam depoimento no Fórum da região. A ação foi abortada porque os bandidos foram surpreendidos por seguranças do prédio.Em outubro do ano passado, foi a vez da Polinter (Divisão de Captura e Polícia Interestadual), sofrer represálias do crime organizado. Comparsas do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar (preso em Bangu 1), derrubaram uma parede da carceragem, arrebentaram o cadeado de uma das cela e liberaram 14 traficantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.