Polícia investiga impressões digitais de suspeito

O coordenador da 16ª Delegacia Regional de Uberlândia, César Augusto Monteiro Alves Júnior, confirmou hoje à tarde, que impressões digitais encontradas no Vectra prata abandonado perto do local da morte do prefeito Antonio da Costa Santos, de Campinas, coincidem com as impressões do assaltante Flávio Aparecido Gardim, também de Campinas, preso na ultima terça-feira na cidade mineira.Flávio está sendo conduzido para Campinas, onde deverá chegar por volta das 21 horas. O delegado de Campinas, Osmar Porcelli, não confirmou que as impressões digitais pertencem ao assaltante, mas disse que se isso for constatado, as investigações do assassinato do prefeito, terão um importante avanço.Segundo o delegado de Campinas, a confirmação das impressões digitais deverá ocorrer até segunda-feira. Ele disse que a quadrilha de Gardim vinha sendo investigada porque a polícia sabia que eles atuavam entre Minas Gerais e Campinas, e as placas do Vectra roubado eram de Uberlândia, em Minas Gerais. A prisão de Gardim, no entanto, ocorreu por acaso.Ele e mais cinco homens foram flagrados pela polícia de Uberlândia, assaltando vários estabelecimentos comerciais e residências na cidade. Houve troca de tiros entre os policiais mineiros e a quadrilha. Daniel Augusto da Silva morreu no confronto. Foram presos, Gardim, Emerson Vilela, Amilton Cabral e um quarto homem identificado como Rodrigo, o sexto assaltante conseguiu fugir. Com eles, a polícia apreendeu uma arma calibre 380 e uma 765.Segundo Porcelli, uma pistola utilizada nos assaltos em Uberlândia está desaparecida e pode estar em poder do assaltante que conseguiu fugir. Segundo o delegado, não há a confirmação de que seja uma pistola de nove milímetros, como a arma utilizada no assassinato do prefeito.

Agencia Estado,

28 de setembro de 2001 | 19h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.