Polícia investiga morte de jovem encontrada em canavial no MS

Cunhado da vítima está preso, ele confessou que levou corpo até canavial após tentativa de aborto

Priscila Trindade, estadão.com.br

22 Julho 2011 | 11h39

SÃO PAULO - Policiais civis da Delegacia de Homicídios (DEH) de Mato Grosso do Sul investigam a morte da jovem Marielly Barbosa Rodrigues, de 20 anos, supostamente durante um aborto malsucedido em Sidrolândia. Ela desapareceu no dia 21 de maio e seu corpo foi encontrado em um canavial no dia 11 de junho.

 

O marido da irmã de Marielly, Hugleice da Silva, de 27 anos, e o enfermeiro Jodimar Ximenes, de 40 anos, estão presos. Eles são suspeitos de envolvimento na morte da jovem.

 

A perícia feita no corpo da jovem não apontou se ela estava grávida. A polícia soube da gravidez da vítima por meio de um exame entregue pela família. Laudos periciais apontaram que não foram detectadas fraturas e nem marcas de tiros no corpo da jovem. O corpo de Marielly estava alinhado, com os braços perto do corpo, o que indica que ela foi colocada e não jogada no canavial.

 

O cunhado confessou em depoimento que levou a jovem para fazer o aborto e a aguardou do lado de fora. Ele também disse que transportou o corpo dela para o canavial depois de ser avisado pelo enfermeiro que Marielly havia morrido no procedimento. O canavial fica perto da empresa onde Silva trabalha como administrador.

 

O enfermeiro está preso na Delegacia de Polícia de Sidrolândia e o cunhado da jovem está na delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Campo Grande. A caminhonete de Hugleice passará por perícia. O veículo teria sido utilizado para transportar Marielly.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.