Reprodução Google Street View
Reprodução Google Street View

Polícia investiga morte de mulher que caiu do carro após discussão com namorado

Jovem foi socorrida com ferimentos na cabeça e nas costas; polícia aguarda o laudo do IML para definir o rumo da investigação

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

02 Fevereiro 2018 | 13h49

SOROCABA - A Polícia Civil abriu inquérito para investigar a morte de uma mulher de 31 anos, após cair de um carro em movimento, na última quarta-feira, 31, na rodovia MS-395, em Bataguassu, no Mato Grosso do Sul, próximo da divisa com o Estado de São Paulo.

A vítima, Maiara Cristina Martins da Silva, era gerente de vendas de uma editora e bastante conhecida em Bilac, cidade paulista onde residia. A queda aconteceu depois de uma discussão de Maiara com o namorado, um operador de máquinas de 37 anos. À polícia, ele disse que a mulher pulou do carro em movimento, após ele ter pedido o fim do relacionamento.    

Maiara foi socorrida com ferimentos na cabeça e nas costas. Ela foi internada em estado grave num hospital de Bataguassu, onde morreu nesta quinta-feira, 1º. O corpo passou por perícia no Instituto Médico Legal (IML) de Três Lagoas (MS) e foi sepultado na manhã desta sexta-feira, 2, no Cemitério Municipal de Bilac. Familiares e amigos pediram à polícia que as circunstâncias da morte sejam investigadas.      

No final de agosto do ano passado, Maiara havia postado em sua página na rede social Facebook que estava em um "relacionamento sério". Ela também postou a frase "livrai-me de todo mal". O namorado foi liberado depois de prestar depoimento. Ele disse que levava a namorada em sua picape para o trabalho dela, na cidade sul-mato-grossense, quando teve início uma discussão motivada por ciúmes. Ao dizer que pretendia deixá-la, ela abriu a porta do carro e se jogou na estrada. A Polícia Civil de Bataguassu aguarda o laudo do IML para definir o rumo da investigação.

Mais conteúdo sobre:
Bataguassu [MS] rede social

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.