Polícia investiga mortes de bebês recém-nascidos no interior de SP

A polícia de Barretos, no interior de São Paulo, abriu inquéritos para investigar as mortes de pelo menos nove bebês recém-nascidos na cidade. As famílias acusam os médicos responsáveis pelos partos por demora no atendimento, alegando que eles priorizavam partos normais, o que teria resultado nas mortes dos bebês.O último caso de morte de bebê ocorreu na segunda-feira, quando uma mulher foi levada a Santa Casa, com fortes contrações, e só foi atendida após cinco horas de espera. A família reclama que o médico fez a opção pelo parto normal, ao invés da cesárea, o que poderia evitar o óbito.O inquérito foi aberto terça-feira e, a partir da próxima semana, o delegado Antônio Simões Júnior vai ouvir os depoimentos de médicos e enfermeiros sobre este e outros casos.No domingo, Pedro Henrique Pinheiro Miranda também morreu. A mãe dele esperou 18 horas para a realização do parto. Pedro nasceu com problemas neurológicos e ficou internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), para adultos, da Santa Casa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.