Polícia investiga possível omissão nos afogamentos no Rio

A Polícia Civil do Rio abriu inquérito para apurar se houve omissão na morte das pessoas afogadas no estacionamento do Penha Shopping, na noite de sexta-feira. Na investigação será apurada a responsabilidade da administração do shopping no caso. A delegada Viviane Batista de Carvalho, da 22.ª Delegacia de Polícia (Penha), disse que espera receber o caso até o fim da semana.O Instituto Médico Legal confirmou a identidade da 12.ª vítima do temporal - Marçal Portela Filho, de 42 anos, morreu na Rua Joaquim de Queiroz, um dos acessos ao Complexo do Alemão, na zona norte. Segundo testemunhas, ele foi arrastado pelas águas ao tentar salvar os irmãos Davi, de 18 anos, e Daniel Rodrigues da Rocha, de 22. Um dos rapazes morreu afogado e outro eletrocutado.Neste domingo, chegou ao IML o corpo de outro homem, que pode ser confirmado como a 13.ª vítima. Ele foi encontrado também próximo ao Complexo do Alemão e pode ter tentado ajudar no resgate dos irmãos. No fim da tarde de ontem, voltou a chover forte na cidade.Pela manhã quatro vítimas foram enterradas - Arnaldo Marcolino e Mariângela Silva Araújo no Cemitério do Irajá, na zona norte, Luiz dos Santos de Souza, no Cemitério do Caju, e Iara de Oliveira Napoleão, morta soterrada pelo muro de casa, no Cemitério de Inhaúma. Marcolino, Mariângela e Souza morreram no estacionamento do shopping. O enterro deles foi marcado pela revolta de parentes.Sebastião Alves da Silva, tio de Mariângela Silva Araújo, disse que ela entrou no estacionamento para pegar a bolsa e não voltou mais. "E agora, quem vai trazer ela de volta?", indagou ele, revoltado. A mulher de Marcolino, Cecília Costa Lopes defendeu que a administração do Penha Shopping se responsabilize pelas mortes.Nesta segunda haverá uma reunião de representantes das seguradoras do shopping e do estacionamento onde ocorreram as mortes, terceirizado, para decidir quem indenizará as famílias das vítimas. A empresa responsável pela garagem, Pit Stop, informou que vai ressarcir os donos dos carros. Ontem, o Penha Shopping, que tem 120 lojas, praça de alimentação e de eventos, passou por mais uma vistoria feita por técnicos da Defesa Civil. A estrutura do prédio não foi avariada e o shopping reabre hoje, ao meio-dia.No fim da tarde, voltou a chover forte no Rio. Os bairros mais atingidos foram Centro, Ilha do Governador, Madureira, Jacarepaguá e Bangu. O Rio Maracanã transbordou. A água invadiu os vestiários do estádio Maracanã, onde Flamengo e Fluminense se enfrentariam as 18 horas. Havia vários pontos de alagamento na Avenida Brasil. Próximo a Parada de Lucas, motoristas foram assaltados.O Aeroporto Santos Dumont ficou fechado durante 20 minutos para pousos e decolagens e operava por instrumentos no início da noite.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.