Polícia investiga se assassino de taxistas é matador de aluguel

As investigações em Mato Grosso sobre os crimes cometidos pelo ex-motorista de ônibus Anestor Bezerra de Lima, de 30 anos, não o apontam apenas como um maníaco matador de taxistas: ele pode ser um pistoleiro, matador de aluguel, que recebia dinheiro para matar as vítimas.No Estado, ele responde inquérito pelas mortes do taxista Josinei Alves de Oliveira e de um motoqueiro, cujo corpo ainda não foi localizado e a identidade não revelada.Uma conta bancária de R$ 250 mil e um depósito de R$ 25 mil feito no último dia 18, levou o delegado de Juína (norte de Mato Grosso), José Abdias Dantas, a pedir a quebra de sigilo bancário de Bezerra da Silva. "Nós estamos investigando a origem desse dinheiro e suspeitamos e temos a crença de que ele está totalmente envolvido no mundo do crime", afirmou. Dantas coordena força-tarefa em Mato Grosso com mais três delegados para investigar os crimes cometidos pelo matador de taxistas. "Estamos investigando essa hipótese, de que o Anestor possa ser, na verdade, um matador de aluguel".Segundo ele, com base nos depoimentos de Bezerra de Lima, já há elementos suficientes que ligam os crimes de Mato Grosso com pelo menos uma morte em Minas Gerais. Bezerra de Lima ficará preso no Presídio do Carumbé até que seja feita uma solicitação judicial para transferi-lo para Minas ou São Paulo.Ele será submetido a cirurgia para retirada de duas balas no corpo. Os disparos teriam sido feitos pelo taxista Josinei Alves de Oliveira e por um dos dois motoqueiros que o perseguiram no trajeto entre Machadinho D`Oeste (RO) e Colniza (MT).

Agencia Estado,

13 de setembro de 2004 | 14h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.