Polícia investiga se piloto fazia acrobacias em Maceió

Um avião de treinamento da Força Aérea Brasileira caiu hoje pela manhã em uma área residencial no bairro de Jatiúca, zona norte de Maceió, matando o piloto, tenente André Marcelo Magalhães, de 32 anos, e o co-piloto, identificado apenas como aspirante Carvalho. O acidente aconteceu por volta das 9h40, quando o avião perdeu altura, bateu em um fio de alta tensão e caiu sobre quatro casas na Avenida Dona Constança. Segundo o capitão Valdir Codinhoto, Departamento de Patrulhamento de Vôo de Maceió, o acidente está sendo investigado pelo Centro de Identificação e Prevenção de Acidente da Aeronáutica (Cenipe), para saber se houve pane no aparelho ou falha operacional. O capitão disse que será investigada a denúncia de que o piloto estaria realizando acrobacia para impressionar a noiva, Ana Paula Alves, 26 anos, que reside a cerca de 200 metros do local do acidente. A queda do avião provocou ferimentos em Luiza Eudócia e sua filha Lanúzia da Costa Silva, que foram atendidas na Unidade de Emergência Armando Lages, mas estão fora de perigo. As duas sofreram queimaduras provocadas pela queda do avião, que caiu no quintal da residência delas. O capitão Codinhoto disse que a Aeronáutica irá se responsabilizar pelos prejuízos materiais provocados pela queda do avião - um monomotor Tucano P27, fabricado pela Embraer. O capitão Codinhoto disse ainda que o piloto estava em vôo de treinamento e tinha decolado pela manhã do Aeroporto Zumbi dos Palmares, em Maceió, com destino a Caravelas, na Bahia. De lá, o avião deveria voltar à Base Aérea de Pirassununga, no interior de São Paulo. A noiva do piloto disse que ele chegou em Maceió na quarta-feira e confirmou o casamento com ela para 4 de maio de 2002. Ela não acredita que o noivo tenha provocado o acidente. O incêndio provocado pela queda do avião foi debelado a tempo pelos soldados do Corpo de Bombeiros. O trânsito na Avenida Dona Constância ficou interditado até o início da tarde, quando a viatura do Instituto Médico Legal levou os corpos do piloto e do co-piloto, parcialmente carbonizados. A perícia de local foi feita pelo perito Nivaldo Cantuária, do Instituto de Criminalística de Maceió, que irá divulgar um laudo sobre o acidente dentro de uma semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.