Polícia investiga série de mortes no PR

A direção da Polícia Civil do Paraná designou o delegado Eduardo Cabral, que responde pela Divisão de Narcóticos de Curitiba, para investigar uma série de mortes de mulheres que estaria acontecendo em Almirante Tamandaré e Rio Branco do Sul, na região metropolitana de Curitiba. A população teme que um maníaco esteja atuando na região. O promotor de Almirante Tamandaré, Paulo Sérgio de Lima, disse que há nove casos, entre os dois municípios, considerados mais relevantes. As mortes ocorreram desde agosto do ano passado. Somente na semana passada, foram encontrados dois cadáveres de mulheres que eram dadas como desaparecidas. "Temos que analisar a forma como ocorreram as mortes, os locais e a vida da vítima, para saber se tudo foi feito por uma única pessoa", disse Lima. Segundo ele, já se pode observar que, em alguns casos, houve violência sexual e estrangulamento. As mulheres mortas tinham, em média, entre 27 e 35 anos, e moravam no distrito de Tranqueira ou na vizinha Rio Branco do Sul. No último sábado, houve uma reunião entre moradores e autoridades da segurança pública do Estado, quando se determinou que um delegado especial investigaria as ocorrências. O delegado Cabral iniciou o trabalho com a análise dos inquéritos já abertos nas delegacias. O promotor afirmou que pediu ao serviço reservado da Polícia Militar a investigação sobre um suspeito. Trata-se de um foragido da Justiça, condenado por crimes sexuais. Segundo ele, há algumas coincidências entre as mortes das moças ou o encontro de cadáveres com o período em que o suspeito estava foragido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.